quinta-feira, 17 de junho de 2010

Verde e amarelo

por @fabio_piva

Eba, começou a Copa do Mundo! Muito futebol, festa, alegria e dias de descanso quando o Brasil joga. E nem adianta procurar que você não encontrará melhor justificativa que essa para reunir os amigos e familiares em churrascos completamente deslocados no meio da semana, ou gritar palavrões desconsolados sem ser julgado por seus vizinhos -- mesmo aqueles mais religiosos, afinal, Deus te ama, mas não ama a escalação do Dunga (e estou certo de que isso está escrito em algum lugar na Bíblia). Tudo muito legal, bonito e verde amarelo.

E junto ao comércio, parece que a moda e o bom senso também fecham em tempos de Copa. Digo isso com embasamento estatístico: Nunca, em nenhuma outra época, a breguice anda mais em voga do que nos anos de campeonato mundial. E é muito triste que justamente eu, ser desprovido de qualquer noção idumentária que sou, seja o responsável por observar um fato que é tão preocupante quanto óbvio: Não é porque é ano de Copa que sair de casa trajando verde e amarelo se torna algo aceitável. Ou não deveria ser aceitável, pelo menos.

Analisemos friamente: Se uma menininha saisse de casa vestindo uma sainha verde, ressaltada por uma blusinha amarela e só, talvez nem existisse razão para tamanho alarde; seria, quando muito, apenas mais uma razão clássica para sentir vergonha alheia da infeliz -- verde não combina com amarelo, e ponto; não há ufanista que possa argumentar o contrário. O que faz do problema um atentado aos olhos dos sensatos, digno de ser considerado uma calamidade cultural, são a imensa quantidade de esmaltes, aparelhos dentários, perucas (!!!) e demais penduricalhos patrióticos que são disponibilizados nesta época para todos os fiéis torcedores do impávido colosso. Disponibilizados e consumidos compulsivamente.

O que me incomoda é, por exemplo, entrar numa padaria com fome e pressa para comprar o almoço, e ser detido pela visão dantesca de um filhote de cruz-credo bêbado, ostentando uma cabeleira artificial que faz lembrar uma espécie de Biro-Biro saído de uma sessão de tingimento com Policarpo Quaresma. E nem entro nos méritos das menininhas com unhas de cores alternantes -- adolescentes já estão habituados ao ridículo por natureza e em qualquer época, e por isso merecem uma análise mais profunda em um texto futuro. O verde e amarelo nos adolescentes é perfeitamente previsível, infelizmente.

Mas nem tudo são cores. Outra maldição vinculada à Copa do Mundo são as malditas cornetas -- que este ano, em particular, chamam-se “vuvuzelas” por alguma razão aborígene. Tenho vontade de pegar o infeliz que teve a brilhante idéia de utilizar estes pobres instrumentos musicais para fins futebolísticos e fazê-lo engolir uma orquestra sinfônica inteira -- pelo rabo. Este mesmo pensamento doce se estende aos pais de torcedores-mirins, que permitem que suas crias as utilizem para produzir a maior quantidade possível de barulho nos horários mais impróprios -- tal como domingo às nove horas da madrugada.

Espero que este humilde desabafo não lhe transmita, paciente leitor, uma falsa impressão de que este texto foi motivado por eu não gostar de futebol, ou estar profundamente incomodado com a festança que a Copa do Mundo representa para o nosso ‘país do futuro’. Porque eu não gosto mesmo, e estou mesmo -- mas não foi isso que me motivou. O que me inspira a execrar o comportamento débil que se instaura em nossa sociedade nesses tempos difíceis é apenas o desejo honesto de não fazer parte dessa baderna toda -- nada mais. E talvez a impressão aterradora de que vivo, a cada quatro anos, em uma terra governada pelo daltonismo e alardeada por trombetas de plástico vagabundo.

14 comentários:

  1. Bem, você sabe, sou louca por futebol, e amo Copa do Mundo! Isso não tem nem como negar!
    Mas algumas verdades são incontestáveis: De fato, verde não combina com amarelo, e o único motivo pelo qual aceito essa ombinação é em época de Copa e com MUITAS ressalvas. Ainda bem que ultimamente a seleção tem usado calçao azul e blusa amarela, pelo menos esteticamente é mais aceitável.
    Assim como você eu não suporto o som das vuvuzelas, elas são (com o perdão da epressão) irritantemente irritantes. Porém eu entendo e aprovo o uso delas nas partidas, através das torcidas, pois quem vai ao estádio vai lá pela alegria pela festa e quer entrar no clima numa forma "eufórica", e nesse calor da torcida, esses artifícios são contagiantes de uma forma inexplicável.. Fora, de longe, você pode achar horrível o som delas, mas estando lá, até você se contagia - Inexplicável, mas que acontece, acontece!
    E quanto ao clima de copa que domina o país, concordo com você que algumas pessoas passam do nível adequado de comportamento e ficam parecendo uns imbecis, nos fazendo ter a mais forma pura de vergonha alheia!!!

    Parabéns por sua exposição de idéias! Muito legais o seu texto...

    ResponderExcluir
  2. Imagino que, em plena África do Sul, o som de abelhas histéricas hiperativas seja algo que combine com o ambiente. Mas não combina com meus ouvidos, não mesmo. Obrigado pelo elogio! ;)

    ResponderExcluir
  3. concordo. qdo não é época de copa esse bando de hipócritas está pouco se f... para o país, mas de 4 em 4 (literalmente sempre de 4) anos, os brasileiros se tornam idiotamente patriotas em excesso e acabam atazanando a vida de quem quer viver em paz, sem verde-amarelo berrante, sem vuvuzela irritante, sem locutor futebolístico tagarelante...
    vergonha alheia mesmo. concordo plenamente com esse texto-desabafo anti abestalhamentos em época de Copa Mundial.

    ResponderExcluir
  4. Huahuahuahuahua...
    Eu adoro futebol, assisto aos jogos na copa (e fora dela tb) mas tenho que concordar com vc q verde e amarelo realmente não se afinizam... e as vuvuzelas são um demônio pra quem gosta e assiste aos 90 minutos do embate, pra quem é filha de apicultora, a impressão que tenho é estar dentro de uma caixa de abelhas amplificada que está com a produção a todo o vapor... abaixo às vuvuzelas!!!!
    E claro à breguice que se instaura no país... vejo minhas colegas de trabalho, professoras pós graduadas com as unhas desse jeitinho que vc cita no texto e sinto vergonha alheia, afinal são minhas colegas de trabalho...
    Mas fazer o que né??? Num país que ouve funk, axé... nada mais natural, concorda??
    Beijos, adorei!!!
    Edilene

    ResponderExcluir
  5. Uma coisa é certa: Copa do Mundo tem muito pouco a ver com gostar de futebol [Já ouvi alguém dizer que "homem-que-é-homem" gosta mesmo é do TIME dele e que Copa é coisa de frutinha? Já, né? Então, eu concordo com a tese. Em grande parte].

    Já acompanhei MUITAS Copas, algumas com real interesse. Mas hoje, vejo com muita clareza que Copas do Mundo tornaram-se, muito mais do que campeonatos de futebol, eventos babacas, carnavalizados, dos quais - do nada - todo idiota quer participar, mesmo que durante os outros 3 anos e 11 meses anteriores ou posteriores não veja sequer um minuto de futebol.

    E aí é esse festival de retardo mental que assola o país.

    No qual, com o passar dos anos [e das Copas], eu vou vendo cada vez menos graça.

    ResponderExcluir
  6. Perfeito. E complemento seu comentário - Copa: Torçam com moderação. Sem mais.

    ResponderExcluir
  7. Filha de apilcultora? Se fosse o meu caso, as vuvuzelas não só me causariam desgosto -- mas um horror generalizado. Já disse que tenho aflição do som de um enxame de abelhas se aproximando? Pois tenho. Obrigado pela leitura e pelo comentário, leitora fiel! Um beijo. :)

    ResponderExcluir
  8. É exatamente essa a impressão que eu tenho, meu caro @o_colecionador . E ressalto que minha visão corrobora a sua, mesmo eu estando do outro lado da moeda: Não tenho time do coração, pouco ligo para futebol e muito mal acompanho todas as Copas desde o ano em que nasci -- que foi, diga-se de passagem, ano de Copa. Mas Copa vai, Copa vem e sinto-me cada vez mais incomodado com o evento. E não é pelo esporte em si, muito pelo contrário: O que me incomoda é justamente essa mudança no comportamento de quem torce -- mas que não torce, no fundo, por coisa nenhuma. E salve-se quem puder em 2014.

    ResponderExcluir
  9. Pôxa, vim aqui comentar o post com minhas unhas pintadas em verde e amarelo, alternadamente... pensei que estava um arraso fashion! ;)

    [Calma, brincadeira...]

    A verdade é uma só: sou tão neurótica que sinto meu cérebro diminuir nessas épocas -- parece que a linha lógica do pensamento se vai com o excesso de ruído e poluição visual canarinha. Só respeito o movimento esportivo de algum modo porque, sendo um grande evento, traz dividendos. Prazer, sou Tia KK Patinhas, trabalho na indústria do Turismo...

    No mais, ótimo texto, como sempre. Já sou 'da casa'. :)

    Beijo grande,
    Karina Lima

    ResponderExcluir
  10. Bom, eu não sou chegada em futebol, mas grandes eventos esportivos me atraem, seja Copa, Olimpíadas de verão ou inverno, Panamericano, etc.
    Acho esse fenômeno verdeamarelizante que acontece em anos de Copa no Brasil ao mesmo tempo ridículo e interessante.
    Ridículo porque as pessoas se alegram, se colorem exageradamente e param tudo por algo que nem tem a ver mto com elas e não vai fazer grandes diferenças na vida delas (a não ser que ganhem mto dinheiro num bolão). Ficam com uma alegria irracional, não param de dizer que têm orgulho de ser brasileiro, mas ao acabar o grande evento continuam deixando o Brasil uma merda.

    Interessante porque une o país todo, não sei quantos milhões de pessoas assistindo o mesmo jogo. Mostra nossa capacidade de união, apaga por um momento as diferenças... E tb é um evento que valoriza pessoas talentosas, diferente de BBB e coisas desse mesmo estilo.

    Mas é certo que são muito irritantes as vuvuzelas ensurdecedoras, os amarelos berrantes que vemos em todo canto e os comentários do Galvão, argh!

    Haha eu já pintei bandeiras nas minhas unhas, mas eu tinha 11 anos (Copa de 94) nessa idade tou perdoada neh?

    Ótimo texto! E vamo q a Copa não demora pra acabar.
    Pior q em julho vou pra Argentina eita...

    ResponderExcluir
  11. Eu costumo ser quase crucificada quando digo isto - mas estou rebelde e vou falar: Nosso hino é o mais lindo do mundo, mas nossa bandeira é brega. Onde é que já se viu: verde e amarelo nào combinam e um quadrado, um losango e uma bola é uma bagunça geométrica que ofende meus olhinhos. Eu acho.

    E concordo com o autor - durante a Copa do Mundo - essa breguice toda é exaltada e - em minha humilde opinião: o país fica horrendo. A falta de senso estético, pelo menos do meu conceito de senso estético, é uma coisa sem limites. Socoooooorro.

    ResponderExcluir
  12. Sylvia C. Mattioli Possato23 de junho de 2010 13:23

    Adoro Futebol ! Porém fico sem entender pq q Futebol combina com Anarquia? Copa Do Mundo é sinônimo de Carnaval? Tudo vira literalmente uma ZONA! fico quase com a certeza de q tudo no mundo para, brasileiro já é lento por natureza e ainda qdo surge uma "brecha" como a Copa Do Mundo de Futebol, aí sim nada anda, nada se resolve, tudo é motivo para pensar q a vida é uma bagunça insana. Paciência Negativa, com certeza! :)

    ResponderExcluir
  13. Só a morte pra quem pinta uma unha de verde e outra de amarelo.

    Vanessa Pinho

    ResponderExcluir
  14. "Patriotismo de Osmose".. é assim que classifico esse frenesi!!
    É bonito ser brasileiro, vestindo verde/amarelo lá fora (e aqui dentro) para todo o mundo ver... povo alegre e patriota... patriota??? quando??? de 4 em 4 anos... nem nas Olimpíadas é essa loucura.
    Não gosto de futebol, não sou chegada em eventos esportivos... mas curto o churrasquinho com os amigos e Copa pra mim é uma boa disculpa pra eventos sociais... mas não sei quem joga e nem qd se está empedido ou não.

    Pra mim Copa se resume a "Panis Et Circenses"

    ResponderExcluir